Comércio varejista sofre queda por segundo mês consecutivo

Comércio varejista sofre queda por segundo mês consecutivo

Os recentes dados do varejo são um balde de água fria para os empreendedores. As vendas do comércio varejista brasileiro caíram 0,3% em junho na comparação com o mês anterior, segundo divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Trata-se do segundo resultado negativo consecutivo, acumulando perda de 1,5% em dois meses.

A taxa de maio foi revisada para queda de 1,2% em vez de 0,6%, devido à greve dos caminhoneiros que causou desabastecimento e queda no consumo também no mês seguinte.

Além dos dados de maio, o IBGE revisou os dados do comércio de todos os meses deste ano. Em abril, a alta de 0,7% foi revisada para 1,1%. Em março, ao invés de um avanço de 1%, a alta foi de 0,9%. Fevereiro, quando havia sido divulgada uma estabilidade de 0%, houve queda de 0,1%. E em janeiro o setor avançou 0,9%, ao contrário do 1% que havia sido divulgado.

Recuperação Lenta

Com o desemprego ainda elevado e confiança dos empresários ainda baixa diante das incertezas em relação às eleições, a expectativa é um ritmo de recuperação mais lento da economia.

Sequelas da Crise

Segundo Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), ainda há sequelas da paralisação e crise dos combustíveis. “As condições do transporte não estão totalmente normalizadas, prejudicando atividades ligadas à agricultura, por exemplo, que até agora não resolveram a questão do frete”.

Para mais informações:
https://newtrade.com.br/economia/ritmo-do-varejo-brasileiro-esta-mais-lento-do-que-antes-da-paralisacao-diz-acsp/?utm_source=SocialAutoPoster&utm_medium=Social&utm_campaign=Twitter

Deixe uma resposta

Proudly powered by SpiceThemes