Gestão de produtividade

Gestão de produtividade: Por que é tão importante?

Gestão de produtividade é um conjunto de boas práticas que tem como prioridade administrar e acompanhar os elementos que influenciam a produtividade em uma empresa. Começando por metas elaboradas no planejamento estratégico, gestão de tarefas, fluxos de trabalho e gestão de equipe.

Toda teoria é linda, mas quando quem bota a mão na massa não está empenhado, os resultados são decepcionantes. Engajar a equipe é fundamental, principalmente se implantar um sistema de monitoramento eficaz

Contudo, para motivar a equipe é importante ter um sistema de reconhecimento, premiar os melhores colaboradores do mês, ou até mesmo aumentar o pagamento para a equipe de entregas que mais produziu. Existem diversas de formas de se realizar isto. Comece de forma simples e vá sofisticando.

Antes da gestão da produtividade, você sabe o que é produtividade?

Primeiramente, o conceito de produtividade está diretamente relacionada às atividades que o homem exerce desde os tempos pré-históricos. Essa relação entre o tempo utilizado para executar uma tarefa e os recursos aplicados em sua execução existe em todas as áreas de atuação. Na fabricação de produtos e entrega, a produtividade é considerada um item essencial e precisa estar presente nos relatórios dos líderes e coordenadores.

Contudo, o termo que conhecemos hoje foi criado pelo economista francês François Quesnay no século XVIII, mas ganhou força com a primeira revolução industrial iniciada na Inglaterra. Sobretudo, com o tempo e a implantação da linha de montagem e a definição da jornada de oito horas como a conhecemos hoje, outros modos de produção em massa como o fordismo ganharam força.

Ainda no espaço automotivo, a Toyota mudou o jogo através do Toyotismo, focando na descentralização da tomada de decisões, a fim de incentivar o trabalho em equipe, criando horários de trabalho flexíveis e reduzindo o desperdício de recursos, aspecto fundamental da abordagem Lean. Hoje, estamos presenciando outra era em que a tecnologia traz uma série de benefícios ao fluxo de trabalho de uma empresa por meio de aplicativos e softwares de gestão.

Exemplo de estratégia para apurar a produtividade

O importante é produzir muito e dentro do plano proposto da roteirização, o que garantirá o menor custo possível da produção. A partir da pontuação, podemos pagar um prêmio para os 3 primeiros colocados ou pagar R$0,01 (1 centavo) por ponto de produtividade.

1 – Pontos positivos para:

  1. KM rodado = 1 ponto por KM;
  2. Entrega realizada = 50 pontos por entrega;
  3. Peso transportado = 1 ponto por KG;
  4. Carga zerada (nenhuma ocorrência de devolução e reentrega) = 100; pontos por carga.

Todas as entregas da carga realizadas no prazo da rota (ex. rota diária, sair com 15 entregas e voltar zerado, sem reentregas) = 100 pontos por carga.

2 – Pontos negativos quando existem desvios do plano:

  1. Furo de cerca = perde 200 pontos;
  2. Velocidade excedida = perde 50 pontos;
  3. Entrega fora de ordem = perde 50 pontos;
  4. Atrasos perdem= 50 pontos;
  5. Devolução por culpa do motorista = perder 300 pontos;
  6. Avarias de mercadorias no transporte = perde 200 pontos;
  7. Avarias no equipamento = perde 500 pontos;
  8. Esquecimento de checkin da entrega = perde 100 pontos;
  9. Batida de ponto irregular = perde 300 pontos.

Mas por que a gestão de produtividade é tão importante ?

Produtividade é um tema recorrente no mercado de trabalho, para atingir as metas estabelecidas pela empresa, gestores e líderes utilizam uma série de ferramentas para monitorar, fiscalizar e melhorar a entrega dos processos produtivos e criativos executados por seus colaboradores.

Assim, a gestão da produtividade, além de facilitar a colaboração e o engajamento entre os membros da equipe, também desempenha um papel importante na identificação e ajuste de comportamentos que beneficiem o fluxo de trabalho.

Entretanto, com os avanços tecnológicos, fatores climáticos e mudanças causadas pela recente pandemia de COVID-19, a tecnologia deve se adaptar a novos ambientes que exigem altos níveis de produtividade e eficiência, mas também levantam preocupações sobre a existência de bons trabalhadores.

Contudo, quando apresenta bons resultados, deve-se considerar a satisfação das pessoas envolvidas no processo, e não a quantidade e qualidade das tarefas realizadas, a fim de obter o cuidado e evitar a sobrecarga de trabalho.

A gestão de produtividade é dividida em 4 pontos, são eles:

1 – Medição

A primeira etapa desse processo de divisão é a mensuração de dos indicadores. São medições feitas com base nos KPIs (Key Performance Indicador). Você deve estar se perguntando como devo usa-los?

Separamos alguns exemplos, veja:

Produção por período: Calcula a quantidade produzida em cada período de tempo (Hora, dia, semana e mês).

Tempo máximo de resposta: Ajuda a entender se o SLA definido em outras áreas ou clientes está sendo cumprido.

Capacidade de produção: Proporciona entender o quanto sua equipe é capaz de produzir, ajuda a medir o nível de produção e o que fazer para melhora-lo.

2 – Análise

Após identificar as métricas e analisa-las, é preciso transformar os números em informações relevantes para entender a atual situação da sua empresa.

Contudo, deve-se fazer uma analise objetiva, comparando informações para verificar se as métricas estão aumentando ou diminuindo. É importante lembrar que esse processo tem que ser feito com muita cautela para evitar falsas impressões.

Entretanto, se houver dúvidas, não hesite em verificar as informações novamente!

3 – Planejamento

Com base nos resultados da análise dos indicadores, é hora de avaliar o que pode ser feito para retomar o caminho dos bons resultados. A realização de uma reunião de planejamento ajudará os líderes responsáveis ​​a trocar ideias e recomendações que beneficiarão o futuro da empresa.

Com uma gestão flexível, as estratégias podem ser repensadas e todas as partes da organização podem ser ajustadas em torno do mesmo objetivo com base em dados reais.

4 – Execução das melhorias

Essa é a ultima etapa da divisão. É aqui que é realizado todas as propostas elaboradas com os líderes e colaboradores.

Portanto, as novas metas e objetivos estabelecidas, vão exigir uma mudança dos indicadores para melhor acompanhamento e conferir se teve mudanças significantes.

Uma boa gestão de produtividade pode gerar diversos impactos positivos no ambiente de trabalho e otimizar entendimento do profissional com o pessoal.

Contudo, você irá manter uma boa qualidade de vida para os seus colaboradores e ainda manter seu negócio lucrativo.

Todo gestor logístico quer proporcionar um ambiente adequado para seus colaboradores, entretanto, isso não é um papel fácil, por isso é de suma importância mensurar o rendimento dos seus empregados, evitando que trabalhem mais que o necessário, o que ocasiona menor produtividade e não é isso que você quer, não é mesmo?

Gostou? Quer aderir à gestão de produtividade na sua empresa? Mas, ainda não sabe quais caminhos e soluções podem te ajudar? Solicite uma apresentação, conheça nosso móduo de produtividade de motoristas e entregas!

Deixe uma resposta Cancelar resposta