Caminhão elétrico no Brasil vale a pena investir?

Caminhão elétrico no Brasil vale a pena investir?

Caminhão elétrico

Com a grande alta dos índices de gases poluentes, investir em caminhões elétricos é uma boa alternativa para contribuir com o meio ambiente.

Diante dessa situação, montadoras estão fazendo o possível para se livrar dos motores a combustão até o ano X ou Y.

De um ou dois anos para cá, cidades europeias falam em aumentar a restrição aos veículos a combustão, para incentivar o uso dos veículos elétricos, porém, ainda sem uma análise mais profunda das consequências.

Desafios tecnológicos, ambientais e econômicos precisam ser vencidos para tornar viável a mobilidade elétrica.

Afinal, o que é um caminhão elétrico?

Os grandes tanques de combustíveis foram substituídos por baterias, e são delas que vem a potência bruta.

Porém, nem tudo são flores, um caminhão elétrico pode chegar a custar o dobro de um a diesel. Mas porque existe essa diferença de preço?

Além de ser uma novidade, os custos operacionais diminuem drasticamente com o caminhão elétrico, além de evitar a emissão de gases poluentes, já que com motores elétricos não há queima de combustível.

Consumo e potência

A um tempo atrás os elétricos deixavam muito a desejar nesses quesitos, mas pesquisas mostram que houve uma evolução se comparado aos caminhões tradicionais.

O consumo de energia teve uma mudança considerável e melhorou com o passar do tempo, agora, já é possível rodar muito mais e consumir menos energia.

Portanto, para os amantes dos motores a combustão e ama o ronco dos motores a diesel mais clássico, talvez, não vá gostar muito dessa novidade de “motor elétrico”.

Afinal, eles são silenciosos por não conter escapamento, por onde sai a fumaça da queima de combustível.

Qual a diferença entre o caminhão a diesel e o elétrico?

A grande diferença entre os modelos a diesel e elétricos são os preços e a autonomia.

Contudo, os caminhões a diesel costumam ser mais baratos e terem uma maior autonomia. Porém, os custos operacionais são altos, maior gasto com manutenção, além da emissão de gases poluentes no meio ambiente.

Já os elétricos, perdem no alto preço e na menor autonomia, mas ganham em ter os custos operacionais mais baixos, além de ter uma vantagem ecológica por não produzirem poluentes, o que é uma alternativa atrativa para muitos frotistas.

Vantagens e desvantagens

Como citado anteriormente, para algumas pessoas a desvantagem aos caminhões elétricos é o custo de compra muito alto, chegando a custar 2x mais caro que o preço de um caminhão tradicional.

Entretanto, existem diversas vantagens relacionadas a aquisição dos modelos elétricos, são eles:

Solução sustentável

Os motores elétricos possuem baixo impacto ao meio ambiente e são ecologicamente mais corretos que os tradicionais.

Maior possibilidade de integração com outras tecnologias

A uma maior variedade de tecnologias que podem ser agregadas aos elétricos, tendo em vista sua capacidade de modificação, através dos seus computadores de bordo, além dos rastreadores que já são obrigatórios no transporte de cargas.

Motores elétricos chegam a ter a mesma potencial que os motores a diesel

Não há motivos para não ver os elétricos como vantagem se comparado com a sua potência.

Os motores elétricos conseguem ter o mesmo desempenho que alguns tradicionais, chegando a ter 200km de autonomia.

Empresas já estão desenvolvendo testes para aperfeiçoar esses motores, deixando mais potente, podendo ficar acima de 100 cavalos de força.

Baixo custo operacional

Mesmo que o custo para aquisição seja alto, especialistas do setor de transporte afirmam que o custo operacional é reduzido em 65%. O motivo desse baixo custo é: o preço dos quilowatts por quilômetro é mais econômico que o do diesel.

Quais empresas já estão utilizando o modelo elétrico no Brasil?

Se você ainda se pergunta se vale a pena investir em caminhões elétricos e renovar suas frotas, saiba que já existem empresas brasileira que estão investindo alto em caminhões elétricos.

A Ambev contém uma frota com mais de 1.200 caminhões elétricos VWCO, outras 1.200 estão sendo negociadas com a FNM-Agrale. PepsiCo, DHL e Manlog também estão investindo nesse setor.

Existem outras opções além dos elétricos?

Ainda baseados em motores a combustão, existem dois outros combustíveis do tipo diesel que reduzem as emissões de CO2 em 85 a 90 por cento: um deles é o HVO. Entretanto, o mais comum para nós brasileiros é o biodiesel.

O biodiesel (ou Fame, éster metílicos de ácidos graxos) é um tipo de diesel que pode ser feito de diferentes fontes, como óleo de canola, óleo vegetal e óleo de cozinha usado.

No entanto, biodiesel já é comum no Brasil, usado principalmente em ônibus urbanos, e reduz em 85% a emissão de dióxido de carbono.

O óleo vegetal hidrogenado (HVO) é feito a base de óleo usado, óleo de colza, óleo de palma e gordura animal.

A maior diferença entre o biodiesel e o HVO é o processo de fabricação: o biodiesel é feito através do processo químico de transesterificação, no qual a matéria-prima reage com um álcool (geralmente metanol).

No entanto, HVO é produzido através do hidro processamento químico (HDT). A matéria-prima reage com hidrogênio sob condições controladas de temperatura e pressão. A redução de CO2 do HVO pode chegar a 90%.

Modelos Elétricos, Híbridos e Híbridos do tipo Plug-in

Aqui temos três tipos diferentes de caminhões elétricos. Primeiro, o modelo 100% elétrico, ou seja, o modelo que funciona com o motor elétrico e, claro, a bateria. No Brasil, já existem caminhões 100% elétricos, incluindo o Volkswagen e-Delivery, que está disponível em duas versões:

O e-Delivery 11 é um modelo 4×2 (2 eixos) e o e-Delivery 14 é um 6× 2. (3 eixos). JAC e BYD também oferecem caminhões 100% elétricos no Brasil.

No segmento híbrido, a Scania oferece modelos híbridos L, P e G para o mercado europeu. Simples de operar: o caminhão está equipado com um motor diesel e um motor elétrico.

Portanto, ao contrário de alguns carros, o caminhão é possível escolher qual motor vai ser usado. Em algumas situações, como ladeiras, o motor elétrico pode não ser suficiente.

Além disso, os motores a diesel podem receber o já mencionado biodiesel ou tipo de combustível HVO.

Por fim, temos os híbridos plug-in, que funcionam da mesma forma que os híbridos. A diferença é a bateria que pode ser carregada nele, assim como um caminhão 100% elétrico.

Este modelo é mais adequado para clientes que rodam na cidade, as baterias podem ser recarregadas no ponto de carga e descarga.

Quero diminuir custos operacionais, mas não consigo investir nos elétricos, o que devo fazer?

Há uma grande vantagem de investir nos elétricos, porém o retorno é em longo prazo e os impactos causados no meio ambiente é eminente, mas os elétricos podem facilitar seus processos logísticos.

Entretanto, se sua empresa ainda não é capaz de investir nos motores elétricos, saiba que há uma alternativa.

Investir em KPIs logísticos, também podem diminuir os custos operacionais e aumentar os ganhos.

A Fusion S.A também pode te ajudar a diminuir os custos operacionais.

Deixe uma resposta

Proudly powered by SpiceThemes